Regulamento

Os homenageados

Homenagens 2004

Homenagens 2005

Homenagens 2006

Homenagens 2007

Anualmente, a AEASP presta homenagens aos Engenheiros Agrônomos que mais se destacaram nas atividades agronômicas. O Conselho Deliberativo da AEASP, os membros da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal elegem os homenageados, mediante propostas encaminhadas por engenheiros agrônomos associados, instituições de ensino e entidades ligadas ao setor agronômico. As homenagens são concedidas durante a tradicional solenidade da Deusa Ceres.


CATEGORIAS PREMIADAS:


ENGENHEIRO AGRÔNOMO DO ANO - homenagem prestada pela AEASP desde 1972;

MEDALHA "FERNANDO COSTA" - a partir de 1991, para os destaques em Iniciativa Privada, Ensino, Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural, Ação Ambiental e Defesa Agropecuária;

HISTÓRICO


O troféu “Deusa Ceres” foi criado em 1972, pelo engenheiro Cláudio Braga Ribeiro Ferreira, à época presidente da AEASP, e tem o intuito de incentivar e valorizar o trabalho dos engenheiros agrônomos.

Do mesmo modo, em 1991, a entidade criou o “Prêmio do Mérito Agronômico” com a entrega das medalhas “Fernando Costa”. O nome da medalha reverencia a memória de Fernando Costa, um grande realizador, ministro da agricultura no primeiro mandato de Getúlio Vargas, também secretário de agricultura e interventor do Estado, reconhecido por sua luta em prol dos interesses da agronomia.

Qualquer engenheiro agrônomo pode ser indicado, à exceção dos que participam da Diretoria Executiva, à época da eleição. A escolha do premiado é feita na sede da AEASP, anualmente, no mês de setembro. A indicação pode ser feita por qualquer associado, faculdades de agronomia, institutos e entidades ligadas ao setor, além de delegacias regionais. As sugestões de nomes devem ser enviadas à entidade entre julho e agosto.

 


A SOLENIDADE


A solenidade de entrega do prêmio da Deusa Ceres, da Associação de Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo (AEASP), reúne ilustres engenheiros agrônomos e suas famílias, além de autoridades e demais membros ligados ao setor.

O evento é realizado anualmente desde 1972, e presta homenagem aos profissionais da agronomia que brilharam nos mais diversos segmentos.

 


SÍMBOLO DA AGRICULTURA


A Deusa Ceres cultuada pelos romanos é na mitologia grega Deméter, a divindade da Agricultura e da Fecundidade da terra. Seu culto foi introduzido em Roma no século V, antes de Cristo, quando recebeu o nome de Ceres. Todas as lendas sobre Ceres referem-se ao seu caráter agrário que, de forma poética, procuram explicar fenômenos ligados ao cultivo da terra.

Deusa do trigo e dos outros cereais, Ceres ensinou aos homens a arte de arar, plantar e de colher, e ensinou às mulheres a arte de fazer pão. A palavra cereal é derivada do nome “Deusa Ceres”, a quem os romanos dedicavam inúmeras festas em sua homenagem, que eram realizadas de acordo com as estações do ano e representavam as épocas de plantio, de cultivo e da colheita dos cereais.

Com um conteúdo agrário elementar, o culto à Deusa Ceres evoluiu para um significado mais profundo, ligado ao ciclo da vida, promovendo forte interação entre homens e plantas, indicando que tudo renasce da terra.