Alcachofra


A lavoura de Leodir Ribeiro tem aproximadamente 3 mil pés de alcachofras. Depois de algumas viagens pela Europa, ele decidiu inovar, plantou quatro espécies importadas, sendo duas roxas e duas verdes, também conhecidas como alcachofra branca. Outro diferencial do cultivo na propriedade de Leodir é o plantio com sementes, e não com mudas, como normalmente é feito.
As sementes tiveram um porcentual de pega de 95%, enquanto o plantio de mudas não passou de 70%. O formato da plantação é diferente. Os pés de alcachofra formam um "zig-zag", com espaços calculados para crescerem até 50 cm. O chão é coberto com uma lona, que mantém a umidade e evita o crescimento de ervas daninha. Por baixo da lona ficam as mangueiras responsáveis pelo sistema de fertirrigação.
Nesse sistema uma pessoa consegue dar conta de vários hectares de plantação. O espaço deixado entre os canteiros permite ainda, mecanizar a produção, conta Leodir. A colheita começou no tempo esperado, 6 meses após o plantio, e é feita de maneira simples, com um corte no caule da flor. A diferença também pode ser vista na produtividade. Enquanto uma alcachofra tradicional dá de 6 a 8 botões por pé, a importada chega a 12 botões.
Os cuidados são feitos da maneira mais natural possível. O objetivo é produzir uma alcachofra de qualidade, visando a saúde do consumidor. O engenheiro agrônomo Sebastião Wilson Tavelli, pesquisador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, ligado à Secretária de Agricultura e Abastecimento do Estado, foi quem acompanhou tudo. Ele conta que as folhas da alcachofra de São Roque estão diferentes, devido a uma doença passada por mudas infectadas. O problema teria atingido muitas lavouras. Essa contaminação não acontece no plantio de sementes, segundo ele.
A pesquisa científica aliada à assistência técnica tem a capacidade de mudar a vida dos agricultores no campo, levando a tecnologia, tornando a vida desses produtores mais fácil e oferecendo ao consumidor final um produto de melhor qualidade, conclui Sebastião. Vale lembrar que os maiores produtores mundiais da flor são a Itália e França.

Fonte Original: G1