MILHO


Os atuais patamares de preços do milho têm surpreendido até mesmo os vendedores mais otimistas, após um ano de recorde de oferta, em que o excedente doméstico se aproximou de 41 milhões de toneladas. Com o dólar valorizado, as exportações seguem crescentes, deixando os estoques finais inclusive menores que os registrados na temporada passada.
Esse cenário, somado às expectativas de menor oferta em 2015/16, tem feito as cotações se elevarem, em termos reais, aos maiores patamares desde meados de 2013 ou primeiro trimestre de 2014, a depender da região. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa, referente à região de Campinas, subiu expressivos 18% na parcial deste mês, fechando a R$ 43,36/saca de 60 kg na sexta-feira, 15.
Se considerados os negócios também em Campinas, mas com prazos de pagamento descontados pela taxa NPR, a média à vista foi para R$ 43,06/sc, com reação de 18,2% no mês.

Fonte original: Cepea