Boi 7.7.7


O governador Geraldo Alckmin e o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, enalteceram no dia 31 de janeiro de 2016 os ganhos econômicos, ambientais e de produtividade do conceito Boi 7.7.7. durante visita ao Polo Regional da Alta Mogiana da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta). O governador destacou ainda o protagonismo paulista na geração de tecnologias que garantam mais renda aos agropecuaristas, tanto grandes quanto médios, pequenos e familiares.
Acompanhado do secretário Arnaldo Jardim, do Secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, e de vários prefeitos da região, o governador visitou o campo onde é desenvolvido pela Apta o conceito que garante menor tempo para abate, reduz impacto ambiental e custos de produção e aumenta a lucratividade e a produtividade. O trabalho garante ao boi sete arrobas na desmama, outras sete na recria e mais sete arrobas no acabamento, resultando em 21 arrobas líquidas em até dois anos, tempo que no sistema convencional é de, em média, três anos.
Para Geraldo Alckmin, “é impressionante o ganho de renda que o Boi 7.7.7 traz para a pecuária. Um pecuarista que tiver uma produção de carne menor pode obter mais carne em menor tempo. É um trabalho que a maioria dos Estados brasileiros está aplicando, unindo genética, manejo e alimentação”. Ele destacou que a iniciativa é importante também para contribuir com a liderança do País nas exportações de carne. “Há 90 anos, o Brasil era importador de carne, e hoje em dia é o maior exportador de carne do mundo”, lembrou.
Os animais utilizados para o desenvolvimento da pesquisa são todos criados na genética do Instituto de Zootecnia (IZ). Os pesquisadores da Apta, que reuniu reuniram neste conceito os conhecimentos que já tinha sobre como fazer uma boa desmama, uma boa recria e uma boa terminação do animal. Diretora do Instituto, Renata Helena Branco Arnandes lembrou que o 7.7.7 é muito importante para a cadeia produtiva. “Porque diminui a idade do abate e a emissão de metano no meio ambiente e otimiza a pastagem. É a reunião de várias técnicas já desenvolvidas com uma rentabilidade muito alta”, ressaltou.
Para o governador, o ganho vai mais além e demonstra também o protagonismo do Estado de São Paulo na geração de tecnologias necessárias para garantir competitividade e saudabilidade ao produto paulista. Ele lembrou que em Colina, especificamente, são desenvolvidas ainda pesquisas com leite, seringueira, cana-de-açúcar, milho, soja e laranja. “É uma alegria muito grande conhecer e cumprimentar todos que trabalham nesse projeto”, disse Geraldo Alckmin.
A visita do governador ao Polo da Apta demonstra também confiança dele nas ações executadas pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, como apontou o secretário Arnaldo Jardim. “O governador desenvolve cada vez mais uma pauta onde na qual a agricultura esteja em evidência, e isso significa que a Secretaria, o conjunto de seus institutos, a extensão rural, a Defesa, tudo isso é um sistema que se fortalece cada vez que ele divulga e apoia um programa da Pasta”, ressaltou o secretário.

Difundida

A inovação trazida pelo Instituto de Zootecnia já ultrapassou as fronteiras paulistas e tem garantido ganhos também para produtores de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, Paraná e Rondônia, o que enche de orgulho os pesquisadores da Apta em Colina. “Hoje nós temos produtores dos mais diversos lugares do Brasil, de todos os tamanhos, aplicando essa técnica. Isso fundamenta não só o ganho de peso do animal, mas também o ganho de recurso do produtor, da lucratividade do seu negócio”, contou o pesquisador Gustavo Rezende Siqueira.
Ele lembrou ainda que o Boi 7.7.7 vem sendo desenvolvido há uma década, com sua divulgação feita há quatro anos para os pecuaristas interessados em aumentar seus ganhos. Para Siqueira, “a visita do governador foi importante e vai iniciar uma nova etapa do Boi 7.7.7. É um marco esse reconhecimento de um político tão importante como é Geraldo Alckmin”.
Flávio Dutra de Rezende, pesquisador da Secretaria que atua na Apta, ressaltou o interesse dos frigoríficos e dos produtores. “A visita do governador Geraldo Alckmin para conhecer essa tecnologia é o reconhecimento de um trabalho que vem sendo feito e que deu certo. A partir do momento em que o produtor adota a tecnologia, significa que a pesquisa deu certo, é a comprovação de que a pesquisa tem resultado financeiro. As vezes a pesquisa tem resultado técnico, mas não tem resultado financeiro. Hoje a carteira de produtos que uma empresa frigorífera tem com esse tipo de produto aumenta muito e obviamente o pecuarista, que está no começo de processo está ganhando dinheiro. Isso é importante”, disse.
Quem também reforça a abrangência do conceito é Silvio Tavares, coordenador Regional do Polo da Apta em Colina. “Eu vejo com muita alegria esse reconhecimento do governador, porque pesquisa não tem fronteiras. Qualquer que seja o perfil do pecuarista, se ele tiver 50 hectares, com certeza ele pode ter 200 cabeças com qualidade”, disse.
O coordenador destacou ainda que São Paulo já foi o Estado das grandes produções “e, hoje, somos o maior celeiro de conhecimento. Então daqui para frente São Paulo terá que ser reconhecida por isso”. Como coordenador regional da Apta, ele enxerga um grande potencial para o crescimento, para a sustentabilidade.

Premium

O Boi 7.7.7 se diferencia do gado comum porque, por ser jovem, produz uma carne mais macia, com a cobertura de gordura necessária para proteger a carcaça e predominante nos cortes grill. Por ser bem manejado, resulta em um animal sem estresse e “com uma carne com pH mais baixo, mais vermelha, que dura mais tempo na prateleira”, explicou Fabiano Ribeiro Tito Rosa, gerente executivo de compra de gado da do Minerva Foods, frigorífico parceira parceiro no projeto.
A iniciativa é repassada também aos futuros agentes agropecuários, estudantes que encontram no Polo da Alta Mogiana o espaço certo para aprender e colocar em prática. Como Aline Domingues Moreira, zootecnista e aluna de doutorado da pós-graduação da Unesp em Jaboticabal. Para ela, “esse conceito é importante para a cadeia produtiva. É uma agregação de conhecimento, desde a prática de nutrição até a pratica de produção animal, que faz com que se reduza o tempo de abate”.
Opinião compartilhada por Veronica Aparecida Costa Mota, zootecnista e doutoranda também na Unesp de Jaboticabal, que se disse orgulhosa por ter seu trabalho reconhecido pelo governador Geraldo Alckmin e pelo secretário Arnaldo Jardim. “Isso é muito importante para nós por ser um trabalho inovador, que ajuda tanto a pesquisa quanto a parte prática do sistema produtivo.”
Acompanharam o governador e o secretário na visita ao Polo da Apta o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre Morais; e os prefeitos de Colina, Valdemir Antônio Moralles; Santa Ernestina, Ricardo Fernandes de Abreu; Taiaçu, Wladimir Sanches; Gavião Peixoto, Gustavo Martins Piccolo; Sertãozinho, Zezinho Gimenez; Borborema, Virgílio do Amaral Filho; Embaúba, Paulinho Bruneli; Jaboticabal, Raul José Silva Girio; Guaíra, Sérgio de Mello; e Monte Azul Paulista, Paulo Sérgio David.

Fonte original: Assessoria de imprensa SAA