Carne em alta


De acordo com projeções do MAPA, em fevereiro o número de exportações no setor foi o maior dos últimos anos, o que reforça possibilidade do país ser o maior produtor de carne do mundo
Segundo informações divulgadas recentemente pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), as exportações do agronegócio em fevereiro somaram US$ 6,71 bilhões, recorde histórico desde 1997. Para José Carlos Ribeiro, consultor agropecuário da Boi Saúde - Nutrição Animal, esse resultado indica que o Brasil pode estar cada vez mais perto de se tornar o maior produtor de carne do mundo, já que mesmo atravessando uma das piores crises econômicas internas, consegue alcançar números expressivos e segue a previsão de crescimento de 2% ao ano.
"A pecuária está presente na economia brasileira desde a época da colonização, segundo dados históricos, a partir da implementação dos engenhos de açúcar e mesmo com picos momentâneos de leves quedas, teve um crescimento que posiciona o país como o segundo maior produtor de carne bovina, atrás apenas dos Estados Unidos, e como um dos maiores exportadores do produto, competindo com grandes mercados como China, Rússia e Oriente Médio”, explica Ribeiro, que atua no ramo pecuário há mais de 15 anos.
Um outro fator que também deve ser considerado é o mercado interno, pois mesmo com corte de gastos das famílias, o consumo de carne faz parte da mesa do brasileiro, que mantém uma proteína de origem animal nas refeições, tanto que 75% da produção brasileira é consumida internamente.
Esse avanço da exportação se deve ao empenho do produtor rural que cada vez mais trabalha para obter melhores resultados, a partir da implementação de novas tecnologias como chips, aplicativos, ampliação de conhecimento via cursos presenciais ou online e a troca e compartilhamento de informações a partir de informações e dicas aplicadas no dia a dia da atividade com o gado. "A escolha de trabalhar com insumos nacionais também é outro ponto positivo que auxilia para que o produtor atue com qualidade e proporcione economia, já que produtos importados estão inflacionados pela alta do dólar. Além disso, as projeções do próprio MAPA indicam que a pecuária terá um crescimento de 2% ao ano até 2020, o que reforça ao produtor que esteja em dúvida se continua ou não a investir nesse ramo, continue nesse mercado e foque na preocupação da lucratividade dentro da porteira", explica o consultor.