Hidrogel


Uma pesquisa da Universidade Federal de Lavras (Ufla-MG) comprovou que o hidrogel pode ser um aliado dos cafezais no período de estiagem. O produto ajuda a reter a água nas plantas, e os estudos apontaram que os pés de café que receberam o gel tiveram um crescimento a mais de cerca de 10%.
O hidrogel é um pó branco, um polímero, que vira gel quando misturado na água. Um quilo e meio do produto rende 400 litros. No Sul de Minas, o hidrogel foi um recurso pra diminuir os reflexos da estiagem prolongada nos cafezais.
Em 2014, o produtor rural Guilherme Miranda usou o produto no plantio da lavoura de café, em Três Pontas (MG), e viu resultados. “A lavoura não estava definhando, não estava com folha retorcida, estava indo pra frente”, conta.
Durante dois anos, os pesquisadores da Ufla analisaram a ação do hidrogel no plantio do café e descobriram que o produto retém mesmo água no solo por mais tempo, proporcionando uma hidratação contínua. O resultado foi surpreendente. A raiz que recebeu hidrogel cresceu 40% mais que a da planta que não recebeu o produto.
Os pesquisadores observaram também um crescimento de cerca de 10% a mais na planta que recebeu o hidrogel. Além disso, ela resistiu melhor ao calor. “Em dias muito quentes e pouco úmidos, a gente nota que a planta onde tinha o polímero conseguem ter um maior vigor do que as plantas que não tem o polímero”, afirma a estudante de doutorado, Dalyse Toledo Castanheira.

Uso na agricultura

Na hora do plantio, o gel é colocado bem próximo à raiz da planta. Depois de um ano do começo do experimento, ainda havia hidrogel no solo. “A gente ainda não sabe quanto tempo o gel fica nas raízes, mas em constante hidratação, sabemos que ele pode durar até mais de ano nas raízes do café disponibilizando água”, afirma o estudante de mestrado, Thales Barcelos Resende.
O hidrogel já é um antigo aliado das lavouras de eucalipto. No caso das árvores, o gel é mais um recurso pra ajudar na hidratação da planta, que é grande consumidora de água.
No cultivo do café, o gel está sendo usado como uma reserva de água. “Nós já temos alguns dados de pesquisa mostrando que ela cresce mais e, certamente, no futuro, quando nós viermos a fazer esses testes, nós já temos uma hipótese muito provável de que nós podemos conseguir um aumento também de produtividade”, promete o pesquisador de cafeicultura, Rubens José Guimarães.
O pesquisador explica ainda que a comprovação da eficácia do produto traz segurança e economia para o agricultor. “É um seguro para o produtor rural. Ele tem a certeza que ele vai plantar, e caso ocorra um veranio, que é muito comum, ele vai conseguir que a planta pegue em campo. Isso em termos econômicos é muito interessante”, conclui.