Setor agrícola


Apresentar e discutir tópicos e tendências do agronegócio no Brasil, nos EUA e no mundo. Esse foi o objetivo de uma visita ocorrida nesta terça-feira, 26/04, de líderes norte-americanos relacionados ao tema agro à Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/ESALQ). “Eles estão percorrendo o Brasil por dez dias e uma dessas paradas acontece na ESALQ. São representantes da academia e do mercado que estão aqui para trocar conhecimento conosco”, apontou João Martines, professor do Departamento de Economia, Administração e Sociologia da ESALQ.
A comitiva foi recepcionada no período da manhã pelo diretor da Escola, professor Luiz Gustavo Nussio, que em sua fala aproveitou para propor uma parceria com as instituições daquele país. “Recebê-los aqui é algo importante e por isso aproveitamos para mostrar nossa disposição em estabelecer um programa de duplo diploma com uma das instituições dos EUA e pude perceber a disposição dos dirigentes aqui presentes em encontrar um caminho para que isso seja possível”.
Após breve recepção na diretoria, os líderes norte-americanos, bem como professores, alunos de graduação e pós-graduação da ESALQ reuniram-se na sala da Congregação para um seminário sobre as perspectivas do agronegócio. Nesse momento a professora Helaine Carrer, do Departamento de Ciências Biológicas, fez uma apresentação institucional e, na sequência, alternaram-se representantes dos dois países. Steve Pueppke (Michigan State University), Shane Burgess (University of Arizona), D’Arcy Carroll (Benson Hill Biotech) e Mike Thompson (Benson Hill Biotech) falaram do cenário norte-americano. Geraldo Barros, professor do Departamento de Economia, Administração e Sociologia da ESALQ e Juan Casamada, da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ) proferiram sobre a realidade brasileira.
Na sequência, a comitiva visitou instalações da ESALQ e, posteriormente, seguiram para visitas ao Parque Tecnológico de Piracicaba e a uma usina em no município de Charqueada. “Este foi um desejo manifestado pelos profissionais visitantes, mesclar na programação debates com especialistas e conhecer indústrias relacionadas ao setor sucroalcooleiro”, completou João Martines.