Sistema CNA


A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) junto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e o Instituto CNA receberam, no dia 28 de abril, dirigentes de universidades e empresas do agronegócio americano para debater assuntos sobre toda a cadeia produtiva do mercado internacional.
Durante o encontro, os americanos se mostraram interessados em saber a situação da agropecuária brasileira neste momento de crise política, além de sugeriram parcerias com as empresas brasileiras, tanto em pesquisa quanto em mercado. É a primeira vez que o grupo visita o Brasil. Em 2012, eles estiveram na Costa Rica com o mesmo intuito, de trocar informações e estabelecer parcerias.
Segundo o chefe da Área de Novos Negócios da Novozymes (empresa dinamarquesa de biotecnologia), Ricardo Matsushita, o grande objetivo dessa organização, que hoje tem 47 membros em todo o Estados Unidos, Canadá e México, dividido entre empresas privadas e universidades, é interagir com todas as grandes potências do agronegócio mundial. “É bom saber dos desafios da agroindústria de forma a trabalharmos juntos para ajudar a alimentar o mundo”, ressaltou.
Para a superintendente interina de Relações Internacionais da CNA, Camila Sande, a cooperação entre Brasil e Estados Unidos é fundamental para a construção de uma agenda para alimentar o mundo. “Quanto mais parceria, melhor. Temos que olhar para frente e enxergar os americanos como parceiros imprescindíveis e não como concorrentes”, finalizou.