Café


Os paulistanos poderão vivenciar uma experiência diferente em 25 de maio de 2016, às 10h. Na data, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo abrirá as portas do Instituto Biológico (IB-APTA) para a população colher os grãos maduros dos 1600 pés do cafezal urbano do IB, localizado no coração da cidade de São Paulo. O 11º Sabor da Colheita marca o início simbólico da safra do café no Estado de São Paulo. Também no dia 25, às 9h, o instituto de pesquisa paulista fará a inauguração do Laboratório de Nível de Biossegurança 3 (NB3), único do Estado de São Paulo e um dos poucos do País da área animal a ter esse nível de segurança. O laboratório do IB será fundamental para o apoio e a execução dos programas sanitários brasileiros, contribuindo para as operações de comércio nacional e internacional.
De acordo com o diretor-geral do IB, Antonio Batista Filho, durante o 11º Sabor da Colheita, os participantes vivenciarão o significado prático da jornada de milhares de cafeicultores brasileiros. “Para a colheita, os visitantes usarão aparato necessário como chapéu, peneiras e balaios. Todo o processo será orientado por especialistas, para que seja feita a colheita seletiva, retirando com as mãos apenas os grãos bem maduros. O público terá a oportunidade de vivenciar uma experiência única do trabalho que há décadas movimenta a economia paulista”, afirma Filho.
Parte dos grãos colhidos será beneficiada, torrada e encaminhada ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Em 2015, o IB doou 300 sacas de café para o Fundo. No evento de 2016, são esperadas cerca de 300 pessoas.
O Instituto Biológico mantém um dos maiores cafezais urbano do País. Ao todo, são 1.600 pés de café, em uma área de 10 mil m², localizada na Sede do instituto, na Vila Mariana, em São Paulo, a cinco minutos do Parque Ibirapuera. O cafezal é composto pelas variedades Mundo Novo e Catuaí, desenvolvidas pelo Instituto Agronômico (IAC), presentes em 90% do parque cafeeiro brasileiro.
De acordo com a pesquisadora do IB Harumi Hojo, o cafezal foi formado na década de 1950 e tinha a função de servir de material de pesquisa para os técnicos do Instituto estudarem o controle de pragas agrícolas. “Atualmente, a maior finalidade é didática, histórica e cultural, destinando-se à população que quer conhecer sua história e outras particularidades como demonstração dos princípios das boas práticas agrícolas”, afirma.
As plantas de café compõem o projeto Ciclos Econômicos Agrícolas do IB, juntamente com plantas de pau-brasil, seringueira e cana-de-açúcar. Cerca de mil estudantes, pesquisadores e estrangeiros já visitaram a atração do instituto de pesquisa paulista.
O 11º Sabor da Colheita é uma iniciativa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio de ações integradas da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), Câmara Setorial do Café e Instituto Biológico (IB). O evento conta com o apoio do Sindicato da Indústria do Café do Estado de São Paulo (Sindicafé), da Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), das cooperativas de café do Estado de São Paulo e da empresa Syngenta.
11º Sabor da Colheita: 25 de maio, 10h
Instituto Biológico: Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 1252, Vila Mariana, São Paulo