Turismo rural


O turismo rural vem avançando como alternativa de renda no campo. No Estado de São Paulo, por exemplo, um dos mais avançados no segmento, existem cerca de 800 propriedades rurais que oferecem atividades de turismo, apontam dados da Companhia Paulista de Eventos e Turismo, órgão vinculado à Secretaria de Turismo.
De acordo com João B. M. Pacheco Neto, presidente da Câmara Setorial de Lazer e Turismo no Meio Rural de São Paulo, a primeira dica para o produtor que deseja enveredar pelo turismo rural é criar um produto. “Não basta somente ter a fazenda”, afirma Pacheco. Segundo ele, o produtor pode escolher entre turismo histórico, gastronômico, pedagógico, de experiência, como, por exemplo, colha e pague, entre outros formatos.
Pacheco orienta o produtor a começar devagar, experimentando a viabilidade do produto criado, mesmo, porque, segundo ele, o pontapé inicial não exige um investimento grandioso, todavia, sem especificar números exatos. De acordo com o presidente da Câmara Setorial, é possível, por exemplo, criar um produto simples, que envolva a “contação de história da fazenda”, com um café da tarde, para grupos da “melhor idade”.
O presidente da Câmara Setorial conta, ainda, que conhece exemplos de fazendas produtoras de café em que o turismo rural contribuiu para valorizar o produto agrícola da propriedade. “Em um dos casos, o proprietário criou um produto, no qual ele mostra todas as etapas de produção do café. Este tipo de experiência mexe com as pessoas, tem certo poder emocional, e ao final do roteiro, o turista chega até a pagar a mais pelo café pronto que levará para casa.” Segundo Pacheco, este é um exemplo, que um dos pontos mais importantes é olhar o turismo rural com perspectiva de marketing.