Soja brasileira


O Brasil, maior exportador de soja do mundo, exportou 7,4 milhões de toneladas em junho, queda de 12 por cento ante o mesmo mês do ano passado, após volumes maiores embarcados em meses anteriores, o que elevou o total do semestre a um recorde, informou nesta sexta-feira a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec). No acumulado de janeiro a junho, os embarques de soja em grão somaram 39,7 milhões de toneladas, alta de 17 por cento ante o mesmo período de 2015.
Dessa forma, a Anec prevê que, até dezembro de 2016, sejam exportadas mais 17 milhões de toneladas de soja, totalizando no ano um volume de cerca de 57 milhões de toneladas, o que se confirmado será um novo recorde histórico para as exportações da commodity. A previsão da Anec, no entanto, é mais otimista que a da Abiove, que representa as indústrias de óleos vegetais, que previu 53,8 milhões de toneladas após rever para baixo o total a ser colhido pelo país.
A soja tem sido o principal produto de exportação do Brasil, que colheu uma safra perto de recorde este ano, segundo os últimos dados do governo. A China, principal destino das exportações de soja brasileira, adquiriu aproximadamente 76 por cento do volume exportado no primeiro semestre, seguido por Espanha e Holanda, com 3,7 por cento e 3,5 por cento de participação nas exportações, respectivamente, segundo a Anec.