Dia de campo


O envolvimento direto no campo aproxima o programa de melhoramento do restante da cadeia do trigo. E foi buscando tecnologia e maior eficiência que recomendantes, profissionais da indústria moageira e multiplicadores de sementes de trigo, participaram de mais um dia de campo da Biotrigo Genética. A atividade, que reuniu mais de 200 pessoas em Apucarana/PR, aconteceu no dia 10 de agosto. A região é uma área trigueira com altitude de transição e representa as características de várias outras regiões.
Segundo o Gerente Regional Norte (PR, SP, Cerrado e Paraguai) da Biotrigo Genética, Fernando Michel Wagner, a proposta do dia de campo é integrar as diferentes demandas e colocar todos os elos da triticultura em sintonia. Somente em 2015, a Biotrigo Genética participou mais de 120 dias de campo em todo o Brasil, possibilitando a troca de informações e proporcionando um momento onde todas as dúvidas podem ser sanadas, como por exemplo, verificar o potencial produtivo de cada cultivar, novos ciclos, pré-lançamentos, além da oportunidade de comparar a reação às doenças que são prevalentes naquela localidade e naquele período. “Neste ano, os melhoristas puderam evidenciar uma grande diferença na reação a tolerância ao calor e ao déficit hídrico, além de observar as diferentes reações ao complexo de manchas foliares”, explica Wagner. Pela manhã foram atendidos os participantes dos estados do Paraná, São Paulo e do cerrado brasileiro. À tarde, o evento contou com a presença do público vindo do Paraguai, país que possui características de plantio muito parecidas com algumas regiões brasileiras. Participaram profissionais da Biotrigo de vários setores, trazendo para discussão temas ligados ao setor comercial, melhoramento, qualidade industrial e fitopatologia, temas que interessam a toda a cadeia tritícola.