Fungicidas


A Embrapa e a Bayer, multinacional de origem alemã, firmaram parceria para estudar os mecanismos de perda de sensibilidade de fungos causadores de doenças na soja aos produtos atualmente usados nas lavouras. Com duração de cinco anos, o projeto de pesquisa pretende identificar a resistência dos fungos Corynespora cassiicola (causador da mancha-alvo) e Phakopsora pachyrhizi (responsável pela ferrugem-asiática-da-soja) aos fungicidas disponíveis no mercado. "Queremos entender como e onde ocorre a resistência nesses fungos, e, assim, adotar ações antirresistência preventivas", explica o pesquisador Maurício Meyer, da Embrapa Soja.
Um dos principais objetivos dessa parceria é participar do sequenciamento do genoma do fungo causador da ferrugem-asiática-da-soja, que vem sendo liderado por um consórcio internacional, do qual participam a Embrapa, a Bayer e outras instituições de pesquisa da Alemanha, França e dos Estados Unidos.
"Ao obtermos o genoma de referência do fungo seguido do ressequenciamento dos diferentes isolados, esperamos decifrar sua biologia e entender a complexa interação com as plantas hospedeiras, além de ampliar nossa compreensão sobre sua adaptabilidade, evolução e diversidade genética", explica a pesquisadora da Embrapa Soja Francismar Marcelino. Os resultados obtidos serão disponibilizados e deverão beneficiar toda a cadeia produtiva da soja.
De acordo com o diretor de Desenvolvimento Agronômico da Bayer, Bernard Jacqmin, o estudo caminha para solucionar um grande desafio da indústria hoje: garantir a sustentabilidade das ferramentas que existem para o controle da soja. "Essa cooperação com a Embrapa será essencial para que possamos aprofundar os estudos genéticos dos fungos e entendermos como a resistência se desenvolve, depois de repetidas aplicações dos fungicidas. Ao contar com uma instituição como esta, a Bayer terá respaldo para apresentar as recomendações que surgirão com as pesquisas ao setor e aos produtores, principalmente na hora de implementá-las no campo", conclui.