Defensivos agrícolas


As aquisições de defensivos agrícolas para a safra 2016/2017 estão 40% atrasadas em relação ao ciclo anterior, o que pode provocar inflação no preço do frete e atrasos nas entregas. A informação é do presidente da Andav (Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários), Henrique Mazotini.
O dirigente explica que é normal o produtor deixar a compra dos produtos de proteção de cultivos para depois de outros insumos, como sementes e fertilizantes, mas ressalta que “isso deve provocar um gargalo logístico. Não vamos ter falta de produto, mas a demanda concentrada gera sim um problema de fornecimento e risco de abastecimento”.
De acordo com Mazotini, esse atraso nas compras é explicado pela instabilidade político-econômica que o País atravessa, o que fez com que os produtores adiassem as aquisições esperando uma melhora no câmbio. No entanto, ele alerta que não houve variação significativa nos preços dos agroquímicos: “Houve apenas adequações diante da variação do dólar. Mas nada que impacte os custos de produção”.

Fonte original: Agrolink