Agronegócio tem boas oportunidades para jovens executivos


O setor do agronegócio tem boas oportunidades de trabalho para executivos das áreas de administração, economia, finanças, marketing, logística, tecnologia da informação, entre outras, que estão em início de carreira. Foi o que afirmaram executivos, já com extensa trajetória no segmento, de grandes multinacionais, nesta semana [terça-feira, 01º], durante evento no Insper, em São Paulo (SP).
Segundo eles, o expressivo avanço do agronegócio brasileiro nos últimos anos tem tudo para continuar, haja vista a demanda mundial crescente por alimentos, energia renovável e fibras, em um cenário que já vem exigindo profissionalização acentuada do setor, o que consequentemente aquece o mercado de trabalho para jovens profissionais bem qualificados.
De acordo com Marcelo Batistella, diretor de marketing da Basf, o jovem executivo que pretende atuar no agronegócio vai precisar necessariamente compreender as especificidades do segmento. “O agronegócio tem muitas particularidades”, disse ele, acrescentando que este profissional trabalhará em um ambiente multidisciplinar, o que demandará dele muita versatilidade.
Segundo Luis Barbieri, diretor executivo da Louis Dreyfus, além de entender as especificidades do agronegócio, o jovem executivo precisará também ter a capacidade de compreender a cadeia produtiva como um todo, contextualizando o gigantesco rol de variáveis – sejam elas climáticas, financeiras, logísticas, políticas, etc. - que impactam o setor, para a melhor tomada de decisão.
Neste aspecto, Batistella ressaltou que conhecer as demandas, a linguagem, os anseios do produtor rural é condição “sine qua non” para o sucesso na atividade. “O agricultor é o personagem central da cadeia produtiva do agronegócio, sendo o que gera valor para os demais elos. Entendê-lo é questão crucial.”
Para Marcelo de Castro Alves, gerente executivo do Rabobank, em tempos de margens cada vez mais apertadas e enormes desafios no tocante a recursos, ser conhecedor de gestão de risco também é habilidade fundamental. Por sua vez, Rodrigo Iafelice dos Santos, sócio da Ennexas, destacou que a crescente digitalização do agronegócio é outra janela de oportunidades tanto para o emprego formal quanto para quem deseja empreender no segmento.