Defesa Agropecuária


O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou nesta quarta-feira (28.12) que o Plano de Defesa Agropecuária fechou 2016 com investimento de R$ 14,3 milhões. No primeiro ano de implantação do programa, os estados beneficiados foram: Mato Grosso, Santa Catarina, Tocantins, Acre, Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.
Até 2021, o Plano de Defesa Agropecuária pretende informatizar e simplificar todo processo de solicitação de registro de produtos até a análise final. Entre as metas do programa também está atualização e padronização da lei vigente de diretrizes que se contrapõem em diferentes instâncias.
Para o próximo ano, o Ministério da Agricultura pretende assinar R$ 13 milhões em contratos para mesma finalidade em estados como: Goiás, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Alagoas, Amazonas, Bahia, Paraná, Rio Grande do Sul, Ceará e Rondônia. No total, deverão ser firmados convênios e termos aditivos de R$ 27 milhões com 18 estados, sintetizou o secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, Luis Rangel. “O ano de 2016 foi muito intenso de atividades nessa área”, resumiu.
Pela primeira vez, também foram repassados recursos para o controle da mosca das frutas. Receberam verba para esse fim Pernambuco, Amapá, Roraima e Bahia. Mais de R$ 2,6 mi foram destinados para este programa sanitário.
Outro marco foi a aprovação de inéditos 240 pedidos de registro de defensivos agrícolas e de medicamentos veterinários. O recorde anterior era de 204 aprovações de produtos. Atualmente, existem cerca de 1,8 mil pedidos aguardando definição do ministério.