Apran


Os pecuaristas da Associação de Produtores Rurais de Anhembi (Apran) aumentarão em 30% sua produtividade e em 10% sua renda com os equipamentos adquiridos por meio do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável - Microbacias II – Acesso ao Mercado, do Governo do Estado de São Paulo. As melhorias foram entregues nesta quarta-feira, 25, pelo secretário de Agricultura e Abastecimento paulista, Arnaldo Jardim, na Casa da Agricultura do município, onde ele anunciou mais R$ 500 mil em apoio à entidade por meio da mesma iniciativa.
A Proposta de Negócio apresentada pela Associação, aprovada na sexta Chamada Pública do Projeto Microbacias II, teve custo total de R$ 545,6 mil, sendo R$ 381 mil apoiados pelo Estado com contrapartida de R$ 164 mil por parte da entidade. Ao todo, 19 associados serão beneficiados.
Os itens adquiridos foram: analisador do leite com impressora, assessoria para elaboração de um Plano de Negócios, carreta basculante, carreta de cinco toneladas, cobertura do barracão, desensilador, ensiladeira, ordenhadeira, pavimentação do barracão, picadeira, tanque resfriador, vagão forrageiro e um veículo utilitário.
“O governador Geraldo Alckmin é um entusiasta do Projeto Microbacias II, porque sabe da importância que traz à vida dos pequenos produtores e agricultores familiares. Esses equipamentos cumprem o objetivo do Governo do Estado de oferecer melhores condições de acesso ao mercado, mais geração de renda e a fixação do jovem no campo”, apontou Arnaldo Jardim.
Com uma produção atual de dois mil litros de leite por dia, a Apran agregará ainda mais valor ao seu produto, fator preponderante para alcançar um preço melhor nos laticínios. “Queremos chegar a três mil litros de leite por dia, ou mais. Vai melhorar a nossa qualidade de vida e facilitar nosso trabalho, porque muitos dos produtores da Associação não têm condições de comprar esses equipamentos”, contou animado o pecuarista de leite Valmir Barbosa.
Também com boas perspectivas de ganho, o produtor Robson Fernandes lembrou que há dois meses já está com o refrigerador em funcionamento, aumentando o lucro dele. “Esse projeto caiu do céu porque nosso foco principal é a higiene do leite. O laticínio paga melhor se a gente tem mais qualidade no nosso produto”, comemorou.
Com o incentivo do governo paulista, a entidade de 19 membros recuperou a confiança do homem do campo e tem recebido cada vez mais interessados em se associar. “O ganho que esses produtores têm com o Projeto Microbacias II não tem retrocesso”, reforça João Brunelli Júnior, titular da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) da Secretaria, executora da iniciativa. Ele anunciou também a liberação dos recursos para pavimentação do barracão na próxima sexta-feira, 27.