Dia da Mulher


O dia Internacional da Mulher é comemorado no dia 08 de março, que é o resultado de uma série de momentos, lutas e reivindicações das mulheres por melhores condições de trabalho e direitos sociais e políticos. A data não serve apenas para a comemoração, mas sim para se debater e refletir sobre o papel feminino atualmente na sociedade e em diferentes áreas – assim como no agronegócio.
A agricultura é umas das principais bases da economia do país, desde os primórdios da colonização e é neste contexto da história que a mulher exerce papel fundamental até os dias atuais. Ainda assim é importante ressaltar o fortalecimento da presença feminina no setor do agronegócio. Assim como vem acontecendo em outros setores, as mulheres estão passando a ocupar postos de trabalho, que anteriormente eram essencialmente ocupados por homens.
A produtora rural, Maria Angelica Pilau conta que a sua integração com o agronegócio iniciou através da companhia do seu marido, em épocas de plantio e colheita de grãos a família partia de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul para a fazenda que fica localizada no Mato Grosso, assim começou a se familiarizar com o meio rural. A Produtora revela, apaixonadamente, que a atividade a encantou. “Temos que conviver e achar soluções para as adversidades do clima, o que não depende apenas de nós agricultores. Não conseguimos determinar quando deverá parar de chover para nos beneficiarmos da época certa do plantio, assim como da colheita – Mas não há nada que pague o sentimento de quando tudo dá certo, temos o retorno de uma colheita com satisfação”. Maria ainda ressalta que a sensação de dever cumprido e de vitória por mais um ano concluído, embora exista ainda os fatores econômicos para a comercialização, saber que o trabalho realizado é sinônimo de alimento para a população é o o melhor resultado.
Por outro lado, empresas também estão relacionando o trabalho feminino como uma estratégia. Com carreira já consolidada na Dow AgroSciences, Sheilla Pereira e Adriana de Paula ocupam posições de liderança. Andrea Eiras, há menos tempo na empresa, já se destaca como uma grande aposta para o time comercial. As três têm visões parecidas com relação às oportunidades de crescimento entre homens e mulheres. Na Dow encontraram o apoio da liderança e a flexibilidade para aliar vida profissional e social. No caso de Sheilla e Andrea, nem sempre houve proximidade com o tema do agronegócio, por terem formações em outras áreas, porém aprofundaram-se e, demonstrando competência, tornando-se especialistas e obtendo o respeito de colegas agrônomos e clientes.
As mulheres tem buscado ainda mais participação nas atividades rurais e ligadas ao agronegócio, nesta quarta-feira (08.03), data em que o dia da mulher é comemorado, será realizado um café da manhã no estande da empresa Nidera na Expodireto Cotrijal em Não-Me-Toque/RS, com um grupo de 40 produtoras rurais da região, que criaram uma associação para aproximar ainda mais o grupo.
De acordo com a Associação, as redes sociais são fundamentais para que encontros como estes sejam realizados. Cada vez mais, nota-se a presença feminina e a volta da atividade no campo.
Um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Marketing Rural & Agronegócios (ABMRA) aponta que nos últimos dez anos, a presença da mulher no campo saltou de 3% para 10%. Algumas das indústrias ligadas ao agronegócio também tiveram seu quadro de funcionárias ampliado.