Plano Safra


Poucos dias da divulgação do Plano Safra 2017/2018, há grandes expectativas sobre as taxas de juros para este ano. Em uma cerimônia realizada na Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), o secretário de Política Agrícola, Neri Geller, afirmou que a possibilidade da taxa de juros variável está descartada.
O deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS), integrante da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), afirma que a Comissão de Agricultura da Câmara e entidades do setor apoiam o Ministério da Agricultura com relação à política de taxas. Segundo ele, a Selic caiu para 11% e não é justo que os produtores rurais não tenham queda da taxa de juros proporcional à queda da Selic.
Em evento em Cuiabá, o Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que o Plano Safra 2017/2018 deverá ter uma taxa de juros 1% inferior à oferecida no ciclo anterior. No entanto, segundo Maggi, a previsão é de diminuição do prazo de quitação dos financiamentos tanto de custeio quanto de investimento, que devem recuar em função do teto de limite de gastos do governo federal. De acordo com o ministro, o novo Plano deverá ter especial atenção às linhas de crédito destinadas a armazenamento.