Conselho Consultivo


Representantes da sociedade civil e entidades ligadas ao setor agro estiveram na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP/ESALQ) para participar da 1ª reunião do Conselho Consultivo da ESALQshow, evento técnico científico que ocorre em outubro, no campus USP Luiz de Queiroz, em Piracicaba (SP).
Entre outras referências do universo agro nacional, esteve na ESALQ o engenheiro agrônomo Roberto Rodrigues, egresso da ESALQ, atual Embaixador Especial da FAO para o Cooperativismo e presidente do Conselho Consultivo da ESALQshow.
Segundo o diretor da ESALQ, professor Luiz Gustavo Nussio, o aspecto diferencial do evento será promover a inovação e se formatar enquanto arranjo estruturado para abarcar iniciativas que possam acelerar a aproximação entre as representações empresariais, as entidades públicas e privadas. “Há no nosso país uma grande conjunto de feiras com caráter comercial, de excelente qualidade e que de certa forma movimentam parte da nossa economia. No entanto, poucas são as iniciativas que primam pela inovação e por propiciar network afim de possibilitar que o conhecimento seja transformado em riqueza e oportunidades”.
Para Roberto Rodrigues, o evento coordenado pela ESALQ, com apoio da Araiby, atende uma demanda mundial de aumentar de forma significativa a produção de alimentos e portanto pode de gerar grandes resultados para o agro brasileiro. “Um estudo recente divulgado pela OCDE mostra que em 10 anos a oferta de alimentos tem que crescer 20% para que não passemos fome. Esse mesmo estudo indica que o Brasil deva, no entanto, elevar sua produção de alimentos em 40% no mesmo período, ou seja, o mundo está pedindo isso ao nosso país”.
Rodrigues indica que o caminho a ser percorrido nessa busca por mais alimentos deve estar estruturado em tecnologia. “Precisamos cuidar da logística, de insfraestrura, do crédito, mas sem tecnologia nada vai acontecer. Portanto o ESALQshow chega em ótimo momento, valorizando a inovação, porque se soma a um horizonte global, pedindo ao Brasil que aumente a produção de alimentos”.