Transição Agroecológica


O Governo do Estado de São Paulo, por meio das Secretarias de Agricultura e Abastecimento e do Meio Ambiente, em parceria com o Instituto Kairós e a Associação de Agricultura Orgânica (AAO), realiza uma série de ações para promover a Transição Agroecológica. O objetivo é apoiar agricultores na utilização do sistema produtivo baseado nos princípios da agroecologia.
Entre as ações, o produtor paulista conta com um site para consultar as diretrizes e boas práticas e tornar sua produção orgânica. As práticas incluem a conservação do solo e o controle da erosão, aumento da utilização de materiais orgânicos, manejo ecológico de pragas e doenças, adequação ambiental da propriedade e correta destinação de dejetos e resíduos sólidos, entre outros itens.
“O site é uma importante ferramenta para os agricultores que buscam se adaptar às práticas e proporciona segurança aos consumidores e aos estabelecimentos comerciais sobre os produtos que estão adquirindo”, destacou o titular da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro) da Secretaria de Agricultura, José Valverde Machado Filho.
Para melhor atender os produtores, os técnicos da Pasta agrícola que atuam nas Coordenadorias de Desenvolvimento dos Agronegócios e de Assistência Técnica Integral (Cati) e na Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), participaram dos encontros de capacitação sobre o processo de “Transição Agroecológica” durante o mês de junho. Entre as orientações transmitidas, os agentes agropecuários se informaram sobre o “Método Albrecht de Equilíbrio de Bases”, fundamental no processo de recuperação e equilíbrio de um sistema produtivo, acelerando o processo de transição agroecológica e o desenvolvimento saudável de culturas.
O secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, destacou a importância das ações da Pasta para uma produção agropecuária mais sustentável nos dias atuais. ‘’Uma pauta atual na produção agropecuária é a necessidade de ter uma proposta que seja ambientalmente correta, mostrando que a produção e a preservação ambiental podem ser mutualmente harmônicas, como nos determina o governador Geraldo Alckmin”, disse.