Febre aftosa


O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, e Fernando Gomes Buchala, coordenador da Defesa Agropecuária (CDA), estão em Flórida Paulista, região de Dracena, para o lançamento oficial da 2ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa de 2017. O evento será realizado no dia 1º de novembro, quarta-feira, às 15 horas, na Fazenda Jacutinga 1 – Agropecuária Casa da Figueira.
Com um rebanho estimado em mais de 10,5 milhões de cabeças, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), em 2016, São Paulo é um dos maiores exportadores de carne bovina do País, e o Brasil ocupa a primeira posição no comércio mundial. “Nossos pecuaristas estão atentos as exigências com relação à sanidade do plantel, conforme comprova a série histórica das taxas de vacinação contra a febre aftosa no Estado, sempre acima dos 99% de cobertura em cada fase da campanha”, ressaltou Arnaldo Jardim.
A retirada da vacinação está prevista no Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Para São Paulo, que pertence ao grupo IV, juntamente com os Estados da Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe e Tocantins, a previsão é 2021.
Devido à necessidade de uniformizar a estratégia de vacinação com os demais Estados, e considerando o pleito do setor produtivo, São Paulo solicitou ao Ministério o ajustamento do calendário. “A campanha de novembro não será alterada. O ajustamento será iniciado na primeira etapa da campanha, em maio de 2018 com a vacinação de todos os bovídeos”, afirmou Fernando Buchala.
“Mais do que o lançamento de uma nova campanha contra a febre aftosa, estamos iniciando um movimento que nos levará, a médio prazo, a ser considerados como território livre da doença”, destaca o secretário, lembrando que essa campanha acontece no momento em que o Brasil se credencia para conquistar mais uma importante fatia do mercado europeu para exportações de carne in natura.
A CDA lembra que, até 30 de novembro, devem ser vacinados todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) do rebanho paulista, inclusive os animais imunizados em maio, época em que tinham até 24 meses.