Produção mundial de azeite crescerá 12%


A produção de azeite de oliva passará por um considerável aumento na temporada de colheita 2017/2018. Segundo o Conselho Oleícola Internacional (COI), a estimativa é de um aumento de 12% em relação ao último ano, totalizando 2,854 milhões de toneladas do óleo.
Seguindo essa projeção, o consumo também deve crescer em 5%, atingindo 2,889 milhões de toneladas, o que indica a importância que o produto vem ganhando para consumidores do mundo todo. “O azeite é cada vez mais um ingrediente imprescindível na mesa de consumidores do mundo todo, e a produção precisa atender essa demanda crescente”, diz Rita Bassi, presidente da Associação Brasileira de Produtores, Importadores e Comerciantes de Azeite de Oliveira (OLIVA).
Também é esperado um aumento na produção de azeitona na ordem de 3%, atingindo um total de 2,951 milhões de toneladas, o que é consequência de boas colheitas em países como Egito, Turquia, Grécia, Argentina e Marrocos.

Importações no Brasil devem subir
Depois de uma considerável queda no período 2015/2016, a importação de azeite no Brasil voltou a subir em 2016/2017, registrando 19% de crescimento (60 mil toneladas). Para o próximo período, a tendência de alta deve manter-se. “A perspectiva de recuperação econômica do Brasil com certeza impactará positivamente as importações de azeites” aponta Rita Bassi.
Países como Portugal (57%), Espanha (20%) e Argentina (9%) seguem como os principais na origem do azeite de oliva importado pelo Brasil na última campanha. Houve também aumento na importação de azeitona na ordem de 18% em relação à campanha anterior (114 mil toneladas). O país que mais exporta o alimento para o Brasil é a Argentina, que responde por mais de 50% do total.