Deusa Ceres


A Cerimônia da Deusa Ceres é um dos eventos mais aguardados pelos profissionais das ciências agronômicas do Estado de São Paulo. Organizada pela Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo (Aeasp), a solenidade, realizada anualmente – desde 1972 –, reúne engenheiros agrônomos e suas famílias, autoridades e representantes do agronegócio em uma premiação aos profissionais que se destacaram nas áreas de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), Defesa Agropecuária, Pesquisa, Ação Ambiental, Ensino e Iniciativa Privada, bem como ao Engenheiro Agrônomo do Ano.
Realizada no dia 2 de maio, durante a 25.ª edição da Agrishow, a solenidade deste ano foi marcada pela emoção, que tomou conta do auditório lotado com mais de 400 pessoas. “Esse evento da Deusa Ceres, que a Aeasp promove, é muito importante e de prestígio. Todos os anos participamos e nessa edição nos sentimos lisonjeados e orgulhosos por ter dois colegas da Secretaria entre os homenageados Carlos Alberto De Luca, da CATI, e Marcos Landell, do Instituto Agrônomico (IAC/Apta). Outro fato importante para nós é a realização dessa festa dentro da Agrishow. A premiação é uma valorização da categoria e um estímulo, principalmente para os jovens que participam, que podem conhecer a experiência de diversos profissionais, inclusive de alguns professores que marcaram essa profissão tão importante”, afirmou Francisco Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento (SAA), ressaltando que os profissionais das ciências agrárias tem um dom de Deus. “Eles têm esse dom de trabalhar com as plantas e sementes, contribuindo para aumentar a produção de alimentos, trabalhando com a natureza e melhorando aquilo que Deus criou. Parabéns a todos os homenageados e aos colegas da Secretaria e do Brasil”.
Segundo o presidente da Aeasp, Angelo Petto Neto, o evento é um momento de valorização de profissionais tão importantes para a sociedade. “Essa cerimônia é extremamente importante para a Associação e a sociedade. Ela foi instituída por normas estatutária tem sido realizada ininterruptamente há 46 anos. Esta a minha sexta edição da cerimônia à frente da Aeasp e me sinto muito gratificado. Tivemos a felicidade de, há alguns anos, ter trazido a cerimônia para dentro do evento Agrishow, por meio de uma cooperação estreita com a Secretaria de Agricultura, que nos permitiu utilizar o anfiteatro do Centro de Cana. Hoje, o público que participa é o da nossa categoria, que vem pela homenagem e valorização das pessoas que escolhemos. Indiscutivelmente todos os premiados são de altíssimo nível e competentes em suas áreas. Nos sentimos extremamente gratificados por homenagear esses homens e mulheres”.
Sobre as indicações dos premiados, Ângelo Neto afirma que qualquer engenheiro agrônomo pode ser indicado, à exceção dos que participam da diretoria executiva da Associação, à época da eleição, o que demonstra o caráter imparcial na escolha. “As indicações de nomes para cada categoria pode ser feita por qualquer associado, faculdades de agronomia, institutos e entidades ligadas ao setor, além de delegacias regionais. A escolha do premiado é feita por membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal e da Diretoria da Aeasp”.
Para o engenheiro agrônomo João Bruneli Júnior, coordenador da CATI, essa premiação é muito relevante. “Após mais de um século da implantação primeiro curso de Agronomia (ver história abaixo), os engenheiros agrônomos tiveram sua atividade transformada de “melhoradores da atividade agrícola” para atores de destaque no agronegócio, com papel fundamental na transformação social, econômica e ambiental que vem ocorrendo no meio rural, transferindo tecnologia e conhecimento aos produtores; mas, mais que isso, sendo articuladores e facilitadores, junto com outros profissionais da extensão rural, no acesso das famílias rurais às políticas públicas, ao crédito rural e instrumentos de inserção no mercado. Portanto ter uma premiação que reconheça o mérito desses homens e mulheres que têm que se reinventar constantemente, para acompanhar as transformações que ocorrem de forma cada vez mais veloz no agronegócio, é essencial e contribui para aumentar a autoestima de toda a categoria”, avaliou o coordenador, enfatizando sua alegria em ver o colega Carlos Alberto De Luca, sendo homenageado na categoria de Ater.

Lista completa dos homenageados em cada categoria
· Troféu Deusa Ceres de Engenheiro Agrônomo do Ano Tsai Siu Mui - diretora do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) /Escola Superior de Agronomia “Luiz de Queiroz” – Universidade de São Paulo (USP)
· Medalhas Fernando Costa
Ação Ambiental José Olympio Salgado Veiga - Precursor da política ambiental em vigor no Estado de São Paulo, atuou na implantação do Departamento de Proteção de Recursos Naturais (DPRN), da Secretaria do Meio Ambiente.
Assistência Técnica e Extensão Rural Carlos Alberto de Lucca – Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI)
Cooperativismo José Antonio de Souza Rossato Júnior – Diretor-presidente da Coplana e vice-presidente da Socicana
Defesa Agropecuária Antonio Tubelis – Professor titular aposentado da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e consultor agropecuário. Pesquisador da clorose variegada dos citros e do greening.
Ensino Maria Helena Calafiori – Professora do curso de Engenharia Agrônomica na Unipinhal, que iniciou sua carreira na CATI, como estagiária na Casa da Agricultura de Socorro, onde atuou entre 1969 e 1970, por sua identificação com a área de extensão rural.
Iniciativa Privada Maurício Palma Nogueira – Empresa Agroconsult
Pesquisa Marcos Guimarães de Andrade Landell – Instituto Agrônomico (IAC)
· Medalha Joaquim Eugênio de Lima – para engenheiros agrônomos ligados à área de paisagismo José Flávio Machado Leão – Propark Paisagismo e Ambiente
· Destaque Comunicação Rural Revista A Granja