SAFRA RECORDE


A próxima safra de soja do Brasil deverá atingir o volume recorde de 91,35 milhões de toneladas, uma alta de 6% se comparada com a safra atual, refletindo aumento de área plantada e da produtividade, previu nesta segunda-feira (11) a consultoria Céleres.
O primeiro levantamento feito pela empresa para a safra 2014/2015, que começa a ser semeada em meados de setembro, indica um aumento de 3,6% na área, que deverá atingir 31,2 milhões de hectares. Segundo a consultoria, apesar dos receios quanto a uma pressão do mercado devido à safra norte-americana, a boa rentabilidade obtida com a soja nas últimas safras e o melhor resultado em relação a culturas “concorrentes”, como o milho, devem levar a uma expansão da área produzida.
Os EUA, maior produtor e exportador de soja do mundo, deverão colher uma safra recorde nos próximos meses, o que vem colocando pressão nos preços internacionais. Já as cotações do milho vêm recuando ainda mais e operam no menor patamar em quatro anos.
A Céleres indicou ainda uma melhora de 2,3% na produtividade média. E ressaltou que usou no cálculo a produtividade de cada Estado nos últimos 15 anos, e que apenas com o início do plantio será possível fazer revisões com base em observações de campo.
Com base em projeções para o câmbio ao final do ano e para os preços da soja em maio de 2015, a empresa traçou perspectivas de margem operacional bruta para os produtores de soja, que deverá atingir média de R$ 783 por hectares.
Em um cenário de câmbio menos favorável e de preços internacionais abaixo do esperado, a margem bruta deve ser de R$ 520 por hectare e, num cenário mais favorável, a margem subiria a R$ 1.045 por hectare.
Ainda de acordo com a consultoria, é importante notar que, mesmo no pior cenário, não há estimativa de margens negativas para a soja em nenhum dos Estados analisados (considerando-se apenas os custos operacionais). A estimativa é de que apesar da pressão sobre as cotações da soja, a atividade ainda deve ser rentável na safra 2014/2015.

Fonte original: DCI