Inovação no agronegócio


Em sua décima segunda edição, o Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica (CIIC), organizado este ano pela Embrapa Meio Ambiente, reunirá bolsistas de sete instituições de ciência e tecnologia da região de Campinas: Instituto Agronômico (IAC-APTA), Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL-APTA), Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), unidades da APTA Regional - instituições ligadas à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo -, Embrapa Meio Ambiente, Embrapa Informática Agropecuária e Embrapa Territorial. O evento é uma oportunidade para os bolsistas mostrarem os resultados obtidos em seus projetos de pesquisa. Os mais inovadores serão premiados. O evento será realizado na Sede do IAC, em Campinas, de 1º a 03 de agosto de 2018.
O foco do evento são os alunos de graduação e estagiários de todos os órgãos de pesquisa envolvidos, que recebem bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), nas modalidades Iniciação Científica e Inovação Tecnológica. Os bolsistas irão expor os trabalhos desenvolvidos nos diferentes institutos de pesquisa participantes. A comissão organizadora escolherá previamente quais trabalhos serão apresentados na forma de pôster e quais serão indicados à apresentação oral.
No total, serão apresentados 154 trabalhos, sendo 126 deles na modalidade Iniciação Científica. Outros 23 trabalhos correspondem à modalidade Iniciação à Inovação Tecnológica e outros cinco à categoria extra.
De todos os trabalhos, 40 foram selecionados para serem apresentados na modalidade oral e 114, na forma de pôsteres. Com 55 trabalhos submetidos, o Instituto Agronômico é a instituição com mais representantes, sendo acompanhado pelo ITAL, com 43 apresentações selecionadas.
A Embrapa Meio Ambiente contará com 14 trabalhos e a APTA Regional contribuirá, nessa edição, com 13 apresentações - mesmo número de trabalhos do IZ. A Embrapa Territorial com 10 e a Embrapa Informática com seis apresentações fecham a lista.
As melhores apresentações nas modalidades oral e pôster serão agraciadas com prêmios, em 03 de agosto, durante o encerramento. Para cada Instituto participante haverá uma quantidade de trabalhos premiados proporcional ao número de inscrições.

Início da carreira acadêmica

De acordo com Orlando Melo de Castro, coordenador da APTA, a iniciação científica é o início da carreira acadêmica e o Congresso faz com que esses estudantes comecem a ter uma avaliação de seus trabalhos e façam também uma auto avaliação sobre seguir ou não a carreira. De acordo com Balanço Social da APTA, entre 2016 e 2017, os seis institutos e 11 Polos Regionais da APTA tiveram 226 bolsistas ligados ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBIT/CNPq) e ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC/CNPq).
“Para fazer ciência é necessário paixão. Na verdade, isso é fundamental em todas as profissões, mas no caso da carreira científica é necessário ainda mais, para que mesmo quando uma hipótese não se confirme, nós possamos recomeçar o trabalho e ajustar os erros para alcançar os resultados e as soluções”, afirma.
Castro também lembra sobre a necessidade de formação de pesquisadores para atuar na ciência agropecuária. “O agronegócio é a vocação do nosso País. Temos o desafio de aumentar a produtividade para conseguirmos produzir alimentos para uma população crescente, tudo isso de forma harmônica com o meio ambiente. O salto na produção de alimentos se dará na produtividade”, disse. Segundo ele, a pesquisa pode ser comparada a uma corrida de revezamento, em que é necessário que os pesquisadores passem o bastão para os outros - daí a necessidade da capacitação de recursos humanos.

Fonte: com informações da assessoria de imprensa