Sistema Gedave


Produtores, cooperativas, distribuidores de insumos agropecuários e indústrias devem fazer o cadastramento no sistema para a fiscalização da venda e utilização de insumos agropecuários até 31 de dezembro de 2018

No dia 2 de janeiro de 2019, a Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), inicia junto a cadeia do agronegócio do Estado de São Paulo a utilização em sua plenitude do sistema eletrônico Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave). Isso significa que as indústrias, cooperativas, distribuidores de insumos agropecuários e produtores paulistas que não estiverem cadastrados e operando dentro da plataforma, estarão impedidos de realizar a venda e também a compra de produtos dentro do estado. O alerta foi divulgado no último dia 20 de setembro no Diário Oficial e, segundo o engenheiro agrônomo da Secretaria de Agricultura de São Paulo, Rafael de Melo Pereira, que junto à Defesa Agropecuária responde pelo Centro de Fiscalização de Insumos e Conservação do Solo, deve-se realizar os procedimentos o quanto antes, uma vez que a documentação das empresas e dos produtores precisa estar em ordem e uma eventual regularização pode demorar e inviabilizar a entrada no Gedave. “Temos no estado aproximadamente dois mil produtos registrados para uso nas lavouras, com um pool de 193 empresas fabricantes, 1.650 canais de distribuição destes produtos e cerca de 260 mil produtores. Desse montante, estimamos que 20% atualizou seu cadastro e daqui pra frente será necessária uma grande divulgação para que todos estejam em dia até o final do ano”, explica. Com relação ao canal de distribuição de insumos agropecuários, no ano passado, a ANDAV fez convênio com a CDA, tendo com uma das ações prioritárias o auxílio na divulgação e conscientização sobre a importância da informatização de todos os processos envolvendo o uso de defensivos no território paulista. Pioneiro no País, o Gedave está alinhado à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) – Lei federal nº 12.305/2010, e a metodologia empregada segue o princípio da logística reversa, que responsabiliza o fabricante de um produto pelo descarte ambiental de todos os seus componentes. A plataforma digital de controle de comercialização de agroquímicos é executada pelo próprio CDA. A ferramenta inclui receituário agronômico e sistemas de relatórios e de auditoria de atividades e, com poucos cliques, o produtor faz diversas consultas e consegue verificar, por exemplo, se um agroquímico tem registro para uma determinada cultura e, ainda, se a loja ou a empresa aplicadora está regularizada com o estado. Outra inovação foi resolver on­line as demandas que antes exigiam pelo menos quatro meses, como a solicitação de recolhimento de produtos vencidos.
Para agilizar o cadastramento, é necessário acessar o sistema a qualquer momento pelo site gedave.defesaagropecuaria.sp.gov.br

Fonte: Andav