O que o agro precisa fazer para continuar crescendo em 2019?


O ano de 2018 foi de altos e baixos para o agronegócio brasileiro. Ele saiu beneficiado da disputa comercial entre Estados Unidos e China, conquistando boa parte do mercado de soja, mas viu seu resultado ser prejudicado, especialmente no ramo pecuário, devido ao embargo de mercados importantes, além da queda no consumo a nível interno. E para 2019? O que agro precisa fazer para vislumbrar um cenário mais positivo? Para o gerente da área Técnica e Econômica da Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), Flávio Turra, o primeiro passo seria desburocratizar o sistema tributário. “Isso tem que acontecer principalmente entre os estados. Precisamos parar essa guerra fiscal e simplificar a tributação, adotando uma alíquota única para o País”. Ainda de acordo com o dirigente, outra medida que pode ser adotada em um curto prazo é melhorar o sistema de cabotagem, com o objetivo de facilitar o comércio de produtos agrícolas entre os estados, uma vez que grande parte da logística do agro é feita por rodovias. Ao falar sobre as prioridades da gestão da nova ministra da Agricultura, Tereza Cristina, Turra diz que o foco deve ser em conquistar a abertura de novos mercados para o setor. “Hoje a participação do agronegócio no PIB é 22%, mas temos potencial para chegar a 35%”. Dentro do campo das políticas públicas, Turra reforça, também, que a oferta de crédito aos produtores precisa ser melhorada. Mesmo a pecuária não apresentando resultados favoráveis em 2018, o dirigente da Ocepar aposta nesse segmento para resultados expressivos dentro do Paraná, especialmente na suinocultura. “Com o surto de peste suína no exterior, essa pode ser uma oportunidade para o mercado pecuário no Estado”, finaliza. Fonte: Universo Agro