Senar


Para ajudar a sanar a lacuna existente no Brasil na área de assistência técnica e extensão rural – onde apenas 9,3% dos produtores rurais recebem visitas regularmente (Censo Agropecuário de 2006 do IBGE) –, o SENAR criou o Programa de Assistência Técnica e Gerencial com Meritocracia, em 2014. Segundo Daniel Carrara, Secretário Executivo do SENAR, do total de estabelecimentos rurais existentes no Brasil, apenas 300 mil são responsáveis por, aproximadamente, 80% das divisas do setor. Dois milhões de propriedades das classes C, D e E têm condições de participar do processo produtivo, mas para isso precisam de orientação técnica e de qualificação. “Oferecer assistência técnica é um sonho antigo da entidade. Temos que continuar fazendo tudo que já fizemos nesses 23 anos, mas também investir na formação dos jovens para que eles permaneçam na atividade. O segredo é sucessão. Não tem outra forma de ajudar esses dois milhões a se aproximarem dos 300 mil” afirma Daniel Carrara.
Ao longo de 2014, foram realizados seis cursos preparatórios de Gestão Técnica e Econômica de propriedades rurais, com ênfase em Projetos de ATER - PRONATEC 2014, totalizando 209 instrutores de 25 Estados qualificados. Esses profissionais são os responsáveis pela capacitação dos técnicos de campo na metodologia de assistência técnica nas suas regionais, com o curso de Assistente de Planejamento e Controle de Produção, do Pronatec do SENAR. As nove apostilas que serão utilizadas nos treinamentos (Metodologia, Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, Agricultura Orgânica, Horticultura, Bovinocultura de Leite, Fruticultura, Ovinocaprinocultura, Bovinocultura de Corte e Cereais) também foram finalizadas e passam a compor a formação a partir do ano que vem.
Em 2015 o programa estará presente em 18 regionais do SENAR, atenderá 32 mil produtores rurais e vai capacitar 1.600 técnicos de campo. Além disso, será iniciada a execução das chamadas públicas para a prestação de assistência técnica em pecuária leiteira e no semiárido, realizadas pelo Ministério da Agricultura. A parceria com o Sebrae, para a ampliação do programa de assistência técnica nos Estados, também deverá ser intensificada.
“Estamos trabalhando para a formação de uma rede nacional de assistência técnica do SENAR. Vamos formar um grupo de instrutores “de elite” que vai multiplicar a nossa metodologia. Também implantaremos uma tutoria de ensino para dar suporte a instrutores e técnicos. A ideia é garantir a qualidade dos cursos de multiplicação da metodologia nas regionais”, destaca o coordenador de Assistência Técnica e Gerencial do SENAR, Matheus Ferreira Pinto da Silva.

ABC Cerrado já vai capacitar em 2015

Formalizado através do acordo de doação de US$ 10,6 milhões – assinado em agosto desse ano com o Banco Mundial –, o Projeto ABC Cerrado iniciará as atividades práticas de capacitação dos instrutores, supervisores, técnicos de campo e produtores rurais nas tecnologias de baixa emissão de carbono em 2015. Segundo o coordenador-técnico do Projeto ABC Cerrado, Igor Orígenes Moreira Borges, toda a parte estrutural e o planejamento das ações que serão executadas já estão definidos, além da contratação de quatro consultores masters para atuar no projeto.
O desenvolvimento do material didático e a capacitação de 45 instrutores deve começar em fevereiro. Também estão previstos seminários de sensibilização nos oito Estados participantes do ABC Cerrado e a formação de 120 turmas de produtores rurais ao longo do ano. “Estamos mobilizados para a execução do ABC Cerrado e estruturados para replicar o programa para outros biomas futuramente. Outro ponto importante é que agora o SENAR está adaptado às regras e normas do Banco Mundial e poderemos estender essa parceria para outros projetos”, destaca Borges.
Ação conjunta do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), Banco Mundial, Ministério da Agricultura e Embrapa, o ABC Cerrado vai incentivar e difundir a adoção de práticas sustentáveis para a redução das emissões de gases de efeito estufa e sensibilizar o produtor para que ele invista na sua propriedade de forma a ter retorno econômico mantendo o meio ambiente preservado. O programa atenderá oito estados do Bioma Cerrado (Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão, Bahia, Piauí, Minas Gerais e o Distrito Federal), num período de três anos, com a promoção de quatro processos tecnológicos: recuperação de pastagens degradadas, integração lavoura-pecuária-floresta, sistema de plantio direto e florestas plantadas. Ao todo, 12 mil produtores rurais vão receber capacitação e desse total, 1.600 propriedades terão, também, assistência técnica.

Rede e-Tec Brasil no SENAR

O ano de 2014 marcou uma nova fase na estrutura educacional do SENAR: a oferta de educação formal a distância com a adesão a Rede e-Tec Brasil, do Governo Federal. Para marcar a estreia, a entidade passou a oferecer o seu primeiro curso técnico de nível médio a distância dentro do programa. Totalmente gratuito e na modalidade a distância o curso com carga horário de 1.230, sendo 20% destinado a encontros e atividades presenciais.
O SENAR abriu processo seletivo para ingresso no curso em novembro de 2014, oferecendo 1.250 vagas em nove Estados do País – Amazonas, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Sergipe –, onde foram montados os primeiros 18 polos de apoio presencial. O primeiro processo seletivo do Curso Técnico em Agronegócio registrou um total de 5.638 inscritos. O resultado preliminar da seleção será divulgado no dia 12 de janeiro e o final no dia 19 de janeiro. O início das aulas está previsto para o final de fevereiro de 2015, quando os aprovados receberão o calendário acadêmico, informando as datas e horários das atividades presenciais.
Segundo a assessora técnica do Departamento de Inovação e Conhecimento (DIC) do SENAR, Marina Vianna, a meta do SENAR é expandir a quantidade de polos visando formar uma grande rede nacional de ensino e aumentar a capacidade de atendimento devido à capilaridade do SENAR.

Fonte original: CNA