Altas temperaturas


Em Buri (SP), lavouras sentem altas temperaturas e falta de chuvas de mais de 12 dias. Precipitações previstas para os próximos dias, se confirmadas, poderão amenizar as condições das plantas. No milho irrigado, produtividade está abaixo das estimativas devido ao aparecimento das lagartas. Saca do cereal é cotada a R$ 25,00 e da oleaginosa entre R$ 54,00 a R$ 55,00.
Assim como em outras localidades do país, em Buri (SP), as lavouras de soja sofrem com as altas temperaturas e a falta de chuvas de mais de 12 dias. A expectativa dos produtores rurais locais é que a previsão climática apontando chuvas para a localidade nos próximos dias se confirme.
Segundo o produtor rural do município, Frederico d’Avila, as plantações estão no limite do aceitável. “Se as previsões não se confirmarem, começaremos a perder a produtividade das lavouras. Porém, caso tenhamos precipitações nos próximos dias, as condições das lavouras serão amenizadas, ainda assim, em áreas mais fracas, as plantas já começaram a perder”, explica.
Na região, a média de produtividade da soja gira em torno de 55 até 60 sacas de soja por hectare nas áreas de sequeiro. Já nas áreas irrigadas, o rendimento médio pode alcançar até 70 sacas do grão por hectare.
Por outro lado, em Buri, os produtores já deram início à colheita do milho irrigado. Por enquanto, a produtividade ficou próxima de 12 mil quilos por hectare, cerca de 200 sacas do cereal por hectare. “Tivemos casos de vizinhos que colheram um pouco menos, normalmente, nessas áreas, o rendimento das plantas pode atingir entre 13 a 14 mil quilos por hectare. Acreditamos que houve algum problema climático, que ainda não conseguimos identificar”, relata d’Avila.
O produtor também ressalta o aparecimento das lagartas nas lavouras desde o início do desenvolvimento da cultura. “A pressão foi grande e, em alguns casos fizemos até três aplicações para tentar conter as pragas. Com isso, também tivemos custos mais caros”, afirma.

Preços

A saca do milho é negociada a R$ 25,00 na região, já a soja, as cotações estão entre R$ 54,00 a R$ 55,00. “Não podemos dizer que é um preço ruim, mas começa a acender uma luz amarela para o produtor rural”, diz d’Avila.

Safrinha

Os produtores que já finalizaram a colheita da soja nas páreas irrigadas investiram na cultura do milho. “Não podemos dizer que é uma safrinha, pois o plantio da segunda safra é feito em fevereiro, é um milho do tarde. Agora, a safrinha das áreas de sequeiro, os produtores irão fazer a colheita da soja no próximo mês e a maioria ainda faz uma avaliação do cenário. Já que, o milho nesse preço desestimula, no mesmo período do ano passado, o valor era de R$ 31,00”, finaliza o produtor.

Fonte original: Notícias agrícolas