Colheita parada


As chuvas que atingiram o Centro-Oeste, Sul e Sudeste do Brasil na semana passada interrompem a colheita da soja, de acordo com colaboradores do Cepea. Com a forte demanda interna e externa e sinais de que a área a ser cultivada nos Estados Unidos na próxima temporada possa ficar entre estável e menor que a do ano anterior, os preços subiram com mais força. Com a ajuda também do câmbio, aumentou bastante a atratividade da exportação para os vendedores brasileiros.
O Indicador da soja Paranaguá ESALQ/BM&FBovespa, que é baseado em negócios realizados na modalidade spot, referentes ao grão depositado no corredor de exportação de Paranaguá, teve forte aumento de 4,5% de 13 a 20 de fevereiro, a R$ 65,83/sc de 60 kg no dia 20. Ao ser convertido para dólar (moeda prevista nos contratos futuros da BM&FBovespa), foi de US$ 22,92/sc, elevação de 3% em sete dias. A média ponderada da soja no estado do Paraná, refletida no Indicador CEPEA/ESALQ, avançou 2,6%, a R$ 61,57/sc na sexta, 20.

Fonte: Cepea