Mercado do agronegócio


A Ocesp (Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) promovem, entre os dias 8 e 9 de abril, em São Pedro (192 km de São Paulo), o workshop “Perspectivas do Cooperativismo Agropecuário Paulista”.
O mercado do agronegócio, as mudanças na legislação ambiental e a política de crédito são os principais temas do evento, que deverá reunir 300 pessoas.
Especialistas, gestores públicos e líderes cooperativistas participarão de painéis sobre as tendências do mercado agrícola - cana-de-açúcar, leite, pecuária e grãos -, o acesso ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e os impactos do Programa de Regularização Ambiental (PRA) no setor.
O PNAE é um programa que beneficia alunos das escolas das redes públicas de educação básica que consomem alimentos provenientes da agricultura familiar.
O PRA foi sancionado pelo governador Geraldo Alckmin em janeiro e estabelece as regras para a regularização da reserva legal dos pequenos imóveis rurais, proporcionando maior segurança jurídica aos proprietários.
Com o Cadastro Ambiental Rural, o PRA consolida as regras para adequação ambiental do produtor rural frente ao novo Código Florestal.
Para o presidente da Ocesp, Edivaldo Del Grande, o evento é uma oportunidade de colocar frente a frente o agente público e as cooperativas, discutindo temas de interesse nacional. “É o nosso primeiro grande evento do ano para o ramo agropecuário. Ele antecede a Agrishow, a maior feira de tecnologia agrícola da América Latina, onde a Ocesp também estará presente”.
Participarão da abertura, além do presidente da Ocesp, o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, o presidente da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Márcio Lopes de Freitas, representantes do Ministério da Agricultura e das cooperativas.
A programação marca também o encerramento do convênio entre a Ocesp e o Mapa, com o objetivo de capacitar e desenvolver profissionais das cooperativas agropecuárias, por meio de cursos de autogestão, palestras técnicas de mercado e cursos de melhoria de produtos e controle de qualidade. O convênio beneficiou 30 cooperativas do ramo agropecuário e cerca de 500 cooperados e funcionários.