Oferta de boi


Nesta quarta-feira (22), após a volta do feriado, o mercado do boi gordo continua firme, trabalhando na casa dos R$ 148,00/@ a R$ 152,00/@ em São Paulo, e sem perspectiva de mudanças ao longo da semana.
Essa firmeza no preço da arroba se dá principalmente pela oferta restrita de animais que vem se alongando desde o começo deste ano. No entanto, Caio Toledo Godoy, analista da XP Investimentos, considera que podemos ver uma leve melhora da oferta nos próximos meses, já que o período de seca pode tirar a qualidade das pastagens e restringir o movimento dos pecuaristas em manter seus animais no pasto.
Segundo ele, esses preços não se justificariam, haja vista o período de safra e as demandas interna e externa que estão desaquecidas. Com tudo, a oferta tem sido o grande limitador de quedas significativas, sendo assim o ano de 2015 deve seguir com esse cenário de pouca oferta e a arroba valorizada.
"Olhando os mapas de chuvas, pode ter um aumento da oferta em junho, juntamente com uma queda nos preços do boi gordo, porém essa queda deve ser de forma limitada e de curto prazo", explica Godoy.
Além disso, no segundo semestre no ano, sazonalmente há uma melhora na demanda interna e externa, o que deve dar maior fôlego a arroba do boi gordo, principalmente na entressafra.
Nas exportações o setor recuperou em abril 1,5% no volume de carne embarcada se comparado a fevereiro, porém esses valores ainda são menores do que os índices registrados em anos anteriores. A expectativa agora é conseguir abrir novos mercados, para impulsionar ainda mais as exportações.
Para Godoy, a melhora no consumo depois de junho, a perspectiva de abertura de novos mercados, e a leve recuperação das exportações, são fatores que podem influenciar na cotação do boi gordo nos próximos meses. "Nós temos algumas dúvidas com a demanda no segundo semestre, e caso essas dúvidas sejam positivas, teremos mais espaço para a valorização da arroba", completa.
Diante desse cenário, o analista afirma que os pecuaristas devem realizar vendas escalonadas, sem a expectativa de altas muito significativas no boi gordo, mas vale lembrar que os R$ 150,00/@ praticados atualmente são remuneradores.

Fonte original: Notícias Agrícolas