Sustentabilidade


Debater o desenvolvimento rural sustentável no Estado de São Paulo, enfatizando as principais transformações da agricultura e pecuária, atender as necessidades da família rural e garantir o atendimento das necessidades das futuras gerações. Esse foi o enfoque do evento comemorativo de 48 anos Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), na cidade de Campinas-SP, no dia 19 de junho de 2015
O encontro teve a presença do secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, que ouviu as sugestões dos funcionários para dinamizar as ações da Coordenadoria em todo o Estado de São Paulo. "Queremos intensificar a adesão do produtor ao Cadastro Ambiental Rural (CAR). Podemos pensar em realizar um tipo de mutirão para intensificar o cadastro", pede o secretário Arnaldo Jardim aos funcionários da Cati.
"A nossa agricultura e pecuária tem um enorme potencial de crescimento. O governador Geraldo Alckmin é um entusiasta do agronegócio do Estado de São Paulo. Por isso, serei o porta-voz de vocês para levar adiante as demandas de melhorias e buscar as melhores soluções para desenvolver e valorizar a nossa produção", complementa o secretário.
Foram discutidas informações sobre os principais projetos em andamento, bem como buscar sinergia para as ações conjuntas de todas as nas Casas da Agricultura para oferecer um melhor atendimento aos produtores, facilitando o acesso às novas tecnologias, às políticas públicas e ao crédito rural. "Estamos trabalhando para a otimização das ações da Secretaria ao fortalecer e integrar a estrutura de suas coordenadorias e seus institutos, tendo como centro do trabalho a priorização da agricultura familiar e as questões ambientais de conservação do solo e da água à luz dos programas que temos desenvolvido", explicou Arnaldo Jardim.
Durante a reunião, foi apresentado um balanço das principais atividades executadas pela instituição, onde foram discutidos os impactos e resultados alcançados até o momento, além das demonstrações de novos projetos e ações para a agilização dos processos. "As pessoas que aqui estão trabalham para atender bem o produtor. Sem o produtor o nosso trabalho não faz sentido", avalia o coordenador da Cati, José Carlos Rossetti.

Ações da Cati

Durante o encontro, o gerente técnico do Projeto Microbacias II - Acesso ao Mercado, João Brunelli Júnior, explicou que a Secretaria de Agricultura já investiu mais de R$ 88 milhões em Iniciativas de Negócio de associações e cooperativas de todo o Estado de são Paulo. "Esse Projeto agrega valores, gerando renda e emprego para as famílias rurais, além de fortalecer as entidades organizacionais dos produtores. A nossa expectativa é prorrogar o Projeto até 2017 - o encerramento oficial está previsto para setembro deste ano. Queremos agilizar a execução das Propostas de Negócios, que até o momento somam 216 aprovadas e 32 finalizadas. Definimos grupos regionais para garantir que as ações já aprovadas sejam concluídas", disse.
O coordenador de Desenvolvimento de Agronegócios (Codeagro), Carlos Fernandes, falou sobre as Compras Públicas, que englobam o Programa Paulista da Agricultura de Interesse Social (PPAIS), o Programa Nacional Alimentação Escolar (PNAE) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). "O nosso desafio é fomentar e apoiar cada vez mais a participação dos produtores, apoiando o diálogo entre eles e as unidades compradoras, bem como identificar e aprimorar instrumentos que favoreçam a superação de entraves como logística de transporte, adequação de Chamadas Públicas, cardápios e produção regional", destacou.

Desenvolvimento rural sustentável

O secretário-adjunto de Agricultura, Rubens Rizeck, fez um balanço do avanço do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e da implementação do Programa de Regularização Ambiental (PRA), nos quais os extensionistas da Cati estão envolvidos. "Tanto o cadastro, como o programa são oportunidades para o produtor regularizar sua produção de forma sustentável. São Paulo tem dado o exemplo no cenário nacional, sendo após a Área da Amazônia Legal, o estado com maior número de cadastramentos. São 11 milhões de hectares cadastrados. Em 2015, o cadastramento saltou de 26% para 70% da área. Isso demonstra o engajamento dos extensionistas da Cati no apoio técnico, na divulgação e na mobilização dos produtores, e ao trabalho sério e comprometido da equipe", destacou Rizek.
A programação continuou na parte da tarde, com discussões sobre o Projeto de Assistência Técnica e Extensão Rural para uma Agricultura Sustentável (Ateras), que a instituição inseriu em seu planejamento estratégico, atuando de forma ampla com as cadeias produtivas das bovinoculturas de leite e corte, olericultura, fruticultura, aquicultura, cafeicultura e heveicultura, além do Projeto Integra SP, que atua diretamente na expansão da conservação do solo e no controle de erosão no Estado.

Visita à Cozinha Experimental da Cati

Para valorizar a produção paulista, durante o evento a equipe de agroindústria e nutrição da Cati preparou receitas com ingredientes da agricultura familiar como hortaliças, mandioca e frutas. O secretário Arnaldo Jardim visitou as instalações da cozinha experimental e aprovou a receita de pães, conservas e sucos que são testados continuamente no local, para a elaboração de Instruções Práticas, publicações da coordenadoria que têm sido fundamentais para os cursos de agregação de valor da produção familiar.