Primeira biorrefinaria


A Cargill inaugurou a nova fábrica de processamento de milho para a produção de amidos e adoçantes, em Castro, a 200 km de Curitiba, no Paraná. Esta é a primeira unidade da companhia no País que atuará com o conceito inovador de biorrefinaria, planta que integra instalações, equipamentos e processos de conversão de biomassa, na produção de derivados refinados, com empresas instaladas ao seu redor. Ao todo, foram investidos mais de R$ 500 milhões no projeto.
A unidade vai representar um aumento de 30% na capacidade de moagem de milho da empresa na América do Sul. O complexo está entre os maiores investimentos da Cargill no mundo, o que sinaliza o potencial dos mercados emergentes, incluindo o Brasil e os demais países da América Latina.
“Os investimentos feitos nesta nova planta em Castro possibilitarão à Cargill atender as necessidades do mercado brasileiro e também de países da America Latina”, afirmou o diretor da unidade de negócios de Amidos e Adoçantes da Cargill, Laerte Moraes.
Com 200 funcionários diretos e instalada numa área de 352 hectares, a fábrica vai atender o mercado nacional com soluções em amidos e adoçantes para uso em produtos lácteos, balas, confeitos, bebidas, pães e na indústria de papel e papelão, além de nutrição animal. Do total, 2,5 hectares serão ocupados pela fábrica da Cargill; já o restante da área vai ser utilizado por empresas clientes no conceito da biorrefinaria.
As empresas receberão os ingredientes produzidos pela planta da Cargill diretamente, por meio de tubulações para a sua produção. Além desta conexão, facilidades da planta, como a estação de tratamento de efluentes da unidade, água e luz poderão ser compartilhadas por algumas das empresas instaladas no espaço. A Evonik é o primeiro cliente parceiro no complexo e, inclusive, já iniciou a construção de sua unidade. A expectativa é que, até 2020, quatro empresas parceiras estejam instaladas no local.
A nova unidade, em operação parcial desde novembro de 2013, leva à Castro a possibilidade de geração de cerca de 800 empregos indiretos e o aumento das oportunidades de negócios na região. “Escolhemos a cidade de Castro pela disponibilidade de matéria-prima, a proximidade com clientes e pelas condições logísticas e de infraestrutura”, ressaltou Laerte Moraes. A unidade está localizada na área industrial de Castro, com boa malha rodoviária e próxima ao Porto de Paranaguá.