Redes sociais e sites de empregos


As redes sociais comuns, como Facebook e LinkedIn, não satisfazem mais alguns profissionais. Em busca de interação de conteúdo sobre assuntos mais específicos do dia a dia de trabalho, eles estão migrando para outras plataformas feitas especialmente para eles.
É o caso da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA) que lançou em seu site uma plataforma para que os profissionais do agronegócio possam cadastrar seus currículos e empresas possam anunciar suas vagas.
"Há um grande distanciamento geográfico entre a demanda e oferta de profissionais na área. As empresas do agronegócio estão espalhadas pelo Brasil", afirma Antônio Alvarenga, presidente da SNA.
A plataforma é gratuita e, segundo ele, se difere dos outros sites de empregos. "Os outros serviços estão muito focados no mercado em geral, e costumam ter interesses comerciais. Estamos fazendo algo focado na nossa área."