Biofábrica de cana


O Instituto Agronômico de Campinas (IAC), vinculado à Secretaria de Agricultura de São Paulo, inaugura amanhã uma biofábrica de cana-de-açúcar em Ribeirão Preto. A unidade, que recebeu investimentos de R$ 2,5 milhões, será capaz de produzir quatro milhões de mudas por ano, que serão utilizadas nos viveiros do setor privado para nova multiplicação e, depois, disponibilizadas ao mercado.
Segundo o IAC, a vantagem de uma biofábrica é que ela permite a produção em escala de variedades com alta qualidade fitossanitária (livre de doenças) e genética de forma rápida ao setor sucroenergético.
O Programa Cana IAC já tem uma biofábrica para a multiplicação de seus cultivares desde 2008. Com a nova estrutura, será possível aumentar em 40 vezes a capacidade de produção da entidade.
"A partir de uma gema de planta é possível produzir de 20 a 30 mil novas plantas em seis meses. Por outros métodos de multiplicação em campo, uma gema renderia ao produtor cerca de 40 plantas, em 12 meses. Isso sem contar a qualidade fitossanitária e genética do material", afirma a pesquisadora do IAC, Silvana Creste.
Em todo o Brasil, existem aproximadamente 10 biofábricas de cana-de-açúcar, sendo a grande maioria pertencente a instituições privadas.
Os recursos para a construção da biofábrica foram disponibilizados pelo Governo do Estado, pela FINEP e recursos externos.

Fonte: Valor Online