Processamento do café


Tecnologia de remoção de resíduos para recirculação da água do processamento de café desenvolvida pelo Consórcio Pesquisa Café (Embrapa Café, Instituto Capixaba de Pesquisa e Extensão Rural – Incaper e pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig) denominada Sistema de Limpeza de Águas Residuárias – SLAR é opção disponível para os cafeicultores de todos os portes para processamento de café com qualidade, sustentabilidade e, em especial, com economia de água.
O sistema permite a redução do consumo de água no beneficiamento do café em até 76% mediante a reutilização desse recurso natural. Ao término da jornada de processamento, a água pode ser usada na ferti-irrigação. Além disso, os resíduos sólidos que ficam do processamento via úmida podem ser utilizados na produção de compostos orgânicos. Estudos demonstram que o uso dessa água residuária é benéfica para as plantas de café e podem reduzir a dosagem necessária de aplicação de fertilizantes na lavoura.
Segundo o pesquisador da Embrapa Café Sammy Fernandes, além da contribuição ambiental, o SLAR tem a vantagem de ser uma tecnologia acessível para pequenos produtores por seu baixo custo de instalação e manutenção. “Existem no mercado equipamentos para processamento de frutos de café que economizam água, mas nem todo cafeicultor tem acesso. O SLAR tem a função de remover os resíduos sólidos na água proveniente do processamento de frutos, viabilizando a reutilização e a economia desse recurso natural finito”.